1. Home
  2. Artigos
  3. Ações
  4. Venda coberta com opções de compra

Escrito por Struggle    13/02/2017 09:59:35

Venda coberta com opções de compra


A Venda Coberta (VC) de opções de compra (calls) é considerada uma operação muito consagrada entre os operadores de opções. Querida por muitos e frequentemente realizada, pode ser montada com relativa facilidade e segurança. Podemos nomeá-la como a Princesa das Operações com Opções. E a Rainha? A Rainha é a operação vencedora, oras bolas. Seja ela qual for...


Se você possui alguns ativos cujas opções apresentam alguma liquidez, é possível realizar esta operação, proporcionando uma remuneração interessante a estes papéis. Com uma estratégia bem estabelecida, é possível ganhar segurança e disciplina a ponto de proporcionar algumas operações vencedoras e, com isto, conseguir um ganho extra que poderá servir para a compra de novas ações. No longo prazo, os acertos proporcionarão um crescimento da carteira.

Ressalta-se veementemente que, se o operador distorcer o objetivo da VC, poderá aumentar sua exposição ao risco e ter um efeito contrário, consolidando prejuízos e, muitas vezes, sendo obrigado a vender parte de suas ações para desmontar operações ruins. E, como o mercado não dá nada de graça, em momentos de grande valorização dos ativos, você poderá ter uma limitação do ganho, sendo importante reforçar o conceito de que em toda VC o operador estará limitando os seus ganhos naquela série vendida. Isto parece meio óbvio, mas faz parte do emocional humano desconsiderar o cenário que nos é indesejável.

Bom, e como podemos considerar uma VC adequada? Conceitualmente, a VC deve ser realizada com opções cujo valor do vencimento esteja bem fora do dinheiro (OTM). E quanto mais OTM, melhor. Contudo, quanto mais OTM, menor será o prêmio, obviamente. É necessário calcular a relação risco / benefício para encontrarmos qual opção estaria mais adequada para a operação de VC, sendo que existem vários marcadores para a determinação destes valores.

A ideia inicial é simplificar o máximo, e com o decorrer do aprendizado, cada operador poderá encontrar situações em que pode encontrar o seu nível mais adequado de eficácia e conforto. Pode até ser que com o tempo,o operador chegue a conclusão que esta operação não vale a pena, pois não estaria disposto a limitar o ganho de seus ativos em um mercado com forte valorização.

Num cenário inicial, vamos considerar a ideia de remunerar algo em torno de 0,5 a 1% ao mês, ok? E sempre buscando uma opção com Delta e Gamma baixos. Podemos colocar um Delta menor que 0,15 e um Gamma menor que 0,05, por exemplo. Em um exemplo prático e hipotético, temos o ativo VALE5 valendo cerca de 31 reais hoje. Se considerarmos a opção VALEC16, venderemos a um preço hipotético de 35 centavos. Com o passar do tempo o Theta corroerá o valor da opção. Se no dia 20 de Março de 2015, VALE5 estiver valendo menos que R$37,98 (valor do vencimento da VALEC16), esta opção perderá o seu valor e ganharemos esta operação, embolsando o prêmio de 35 centavos na operação. Obviamente, não é necessário esperar o dia do vencimento para fechar a operação. Aliás, é recomendado que estas opções sejam recompradas com um valor em que já não vale a pena permanecer vendido (podemos estabelecer aqui com menos de 10 centavos). Vamos colocar que a opção seja hipoteticamente recomprada na semana anterior do vencimento a 5 centavos, com um lucro final de 30 centavos por opção, resultando em uma remuneração bruta (sem contar impostos, taxas e emolumentos) de 1% para um período aproximado de um mês. Algo bem razoável, especialmente se o operador conseguir constância nos acertos.

Esta seria a operação ideal, aonde temos uma remuneração interessante, com um bom lastro. Vejam que o ativo precisa valorizar cerca de 18% no período para esta opção fique ATM, sendo necessário o desmonte ou rolagem. Mas nem sempre estas oportunidades acontecem, porque o valor do prêmio, como vimos, depende muito da volatilidade do ativo. Portanto, desconfie sempre, pois se o mercado está pagando este prêmio, é porque existe uma chance razoável desta valorização acontecer. Mantenha sempre o seu controle de risco acionado.

E se isto acontecer? E se VALE5 disparar e nossa opção ficar ATM, ganhando Delta e Gamma? Há três estratégias possíveis. Primeiro é possível recomprar as opções com prejuízo e encerrar aqui a questão.Lembre-se que você terá ganhado pela valorização do ativo, portanto o prejuízo na operação será compensado pela valorização do ativo. Apenas deixará de ganhara totalidade da valorização do ativo (assume-se este risco ao montar a VC). Outra opção seria “rolar” a operação para um strike mais OTM, ou buscar algo interessante na série seguinte, ganhando tempo e espaço para uma realização do ativo ou uma depreciação da opção pelo Theta (ou ambos). A terceira opção seria deixar acontecer o exercício, com um bom lucro (lembre-se que aqui há imposto de renda sobre o ganho de capital, o que pode ser significativo no caso de carteiras antigas). 

Só não pode transformar a operação de VC em um pequeno monstro, quando o operador sai da estratégia e começa a vender ATM (ou ITM) nas séries seguintes, ou vende mais do que pode (venda descoberta) para “compensar o prejuízo” enquanto aguarda uma desvalorização do ativo. É muito comum o ativo engatar uma valorização por meses seguidos e, nestas distorções e bizarrices operatórias, o mal operador vai acabar destruindo a sua carteira na tentativa de ir contra o mercado.

É preciso seguir algumas regras para se atingir o objetivo básico desta operação que é a remuneração. Não busque lucros que o exponham em demasia. É preferível ganhar pouco e de maneira mais frequente.

Primeiro: NUNCA VENDA DESCOBERTO. A venda descoberta de opções de compra é uma operação com prejuízo ilimitado. 

Segundo: no início, venda pouco (sempre coberto). Passe o primeiro ano vendendo 100 ou 200 opções. O valor ganho será irrisório, mas o aprendizado terá grande valor futuro. Depois de algum tempo, você poderá aumentar a sua exposição e conseguir uma remuneração mais significativa. Evite vender 100% da sua carteira no início.

Terceiro: estabeleça metas claras e mantenha o foco e a disciplina. Não é necessário monitorar toda hora o valor das opções. É possível checar uma vez ao dia os valores ou, com alguma experiência, até mesmo uma vez por semana, se a opção estiver bem OTM.

Acompanhe no fórum a simulação de algumas operações. E fique à vontade para questionar ou sugerir. Aqui, somos todos Aprendizes.



Gostou do texto? Cadastre-se no site e começe a seguir o usuário Struggle. Sempre que ele postar um novo artigo, você será notificado.

Para ler outros textos do usuário Struggle, clique aqui.



Comentários


Ainda não existem comentários para este artigo.