1. Home
  2. Artigos
  3. Ações
  4. Vale, quanto vale?

Escrito por Malandro    07/02/2017 20:47:50

Vale, quanto vale?


Essa empresa está criando uma certa perplexidade na comunidade de investidores, a maioria dos que analisam a empresa está cética quanto a sua performance futura, em parte, logicamente, por terem perdido sua enorme valorização (desde janeiro de 2016: +350%), parte, por terem interessantes pontos de vista..

ValidateAgainstSchemas/> valid>falsevalid> false false PT-BR X-NONE X-NON

Vejo 3 marcos, ao longo do tempo, dessa empresa, 3 marcos que poderiam alterar seu futuro.

A primeira, mais previsível é sua privatização no ano de 1997, sem esse processo poderíamos estar vendo atualmente nas manchetes também o termo Valeduto.

A segunda, com o componente sorte, no começo de 2008, a não realização da compra da mineradora Xstrata, com valuation de topo do super ciclo, logo em seguida estourava a crise do subprime, afetando brutalmente o mercado mundial.

A terceira, mais recente, e pior (não, não foi o incidente em Mariana, esta foi a azeitona na empada estragada), em janeiro de 2016, a necessidade de entrar no crédito rotativo bancário, o diploma que a empresa estava em sérios apuros, pagar dívida velha, com nova dívida com as maiores taxas de juros do mercado. Quem em sã consciência manteria ou compraria parte de seu patrimônio em uma empresa nessa situação? Desde 2010 a 2016, com a explosão da bolha de commodities e a empresa atolada em dívidas, viu-se uma destruição de valor da ordem de 90%, em dólares.


Valor de mercado histórico de VALE, em dólares (1988-2017) Fonte: Bovespa


Mas uma coisa não se nega nessa empresa, ela tem sorte. 

No mesmo mês de janeiro, o governo chinês deu a solução, mais um gigantesco impulso fiscal e monetário nos investimentos de infraestrutura e imobiliário do país, elevando novamente as commodities, em especial carvão e minério de ferro. Salva literalmente pelo gongo chinês, e, consequentemente os investimentos de pessoas inconsequentes.  A valorização que estamos vendo não é simplesmente retorno normal a um suposto ciclo de alta do minério, é valorização de empresa em turnaround.

A questão agora é quanto tempo o preço do minério ficará nesse patamar de $80 ou maior, para a empresa com dívida liquida, segundo nossos dados de US$26Bi. Quanto mais tempo melhor.

Segundo relatório do BTG, nesse patamar de $80, a empresa está gerando fluxo de caixa livre de US$0,9Bi por mês! ~US$ 10 Bi por ano! Em um ano, Vale reduzirá consideravelmente sua relação de dívida, e voltar a ser considerada uma empresa saudável e generosa para o equityholder, com um balanço menos pressionado pelo debt. Mas precisa combinar com os traders chineses de contrato futuro de minério de ferro (adoram alta volatilidade), que em um mês negociam contratos equivalentes a um ano de consumo físico chinês.

Há ainda analistas trabalhando com a relação de oferta e demanda do minério, onde a oferta supostamente tende a aumentar bem no segundo semestre, pressionando seu preço.

E ainda, para incrementar mais uma variável no jogo, o estoque de minério nos portos chineses estão em quantidades recordes.


Terminando, não se impressione com forte geração de caixa, lucros monstruosos, margens estupidamente altas com múltiplos baratos, ao longo do primeiro semestre de 2017, como disse Peter Lynch, “Buying a cyclical after record earnings and when P/E ratio has hit a low point is a proven method for losing half of your money in a short period of time.” 


Gostou do texto? Cadastre-se no site e começe a seguir o usuário Malandro. Sempre que ele postar um novo artigo, você será notificado.

Para ler outros textos do usuário Malandro, clique aqui.