1. Home
  2. Artigos
  3. Economia
  4. Contabilidade para iniciantes: o balanço patrimonial

Escrito por encostado    04/02/2017 16:57:40

Contabilidade para iniciantes: o balanço patrimonial


O título deste artigo seria “contabilidade para idiotas”, em homenagem aos meus amigos Ali Baba, thy, quark, falci e Messi, mas resolvi deixar “para iniciantes”, pra ajudar o Sr. Google a indexar.

O mínimo que um não contador precisa saber sobre contabilidade para entender o funcionamento de uma empresa pode ser resumido nas três peças contábeis fundamentais: o balanço patrimonial, o demonstrativo de resultado e o fluxo de caixa. Neste primeiro artigo vou escrever sobre o balanço patrimonial, que é o começo de tudo.

Toda transação contábil é realizada com o conceito da “partida dobrada”, inventada pelo italiano e franciscano Luca Bartolomeo de Pacioli, ou somente Luca Pacioli. Luca, além de monge franciscano e célebre matemático, é considerado o pai da contabilidade moderna, justamente pela contribuição no desenvolvimento das partidas dobradas (ou dupla entrada, ou método veneziano “el modo de Vinegia”). Este método impõe que o ativo é igual ao passivo, e que todo lançamento tem uma contrapartida de igual valor.

Aqui vale comentar que o balanço patrimonial é dividido em ativo e passivo (chama-se balanço pois é equilibrado em duas partes iguais). No ativo são registrados os direitos da empresa (caixa, máquinas, bens, contas a receber, estoques, etc...) e no passivo são registrados os deveres e obrigações (contas a pagar, empréstimos, financiamentos, e o patrimônio líquido, que é a dívida com os sócios).

Outro ponto interessante é que tanto o ativo como o passivo são ordenados pela liquidez. Primeiro aparecem os ativos e passivos mais líquidos (mais próximos de virarem dinheiro, como caixa e dívidas de curto prazo) e depois os menos líquidos (como máquinas, terrenos, dívidas de longo prazo).

Vamos começar do começo. Quando uma empresa é constituída, os sócios aportam uma quantidade de recursos chamada de capital social. Pense na empresa apenas como um CNPJ com uma conta aberta no banco, não possui nenhum ativo (direitos) e nenhum passivo (obrigações). Os sócios então depositam T$ 1000 na empresa (mil temers). Imediatamente este recurso vai para a conta corrente da empresa. Veja como fica o balanço patrimonial neste momento.

ATIVO

PASSIVO

Caixa

1.000







Capital Social

1.000

Total Ativo

1.000

Total Passivo

1.000


A conta “capital social” faz parte do patrimônio líquido, e fica no fim do passivo, pois é a obrigação menos líquida da empresa. O sócio é o primeiro a aportar recursos e o último a retirar em caso de encerramento das atividades. Já o caixa é o ativo mais líquido de todos, pois é a própria materialização da liquidez.

Na próxima etapa, a empresa investe T$ 750 em terrenos, máquinas e equipamentos, que vamos chamar aqui de ativo imobilizado. O movimento de partidas dobradas faz um lançamento de caixa contra imobilizado. O ativo segue com T$ 1.000, assim como o passivo.

ATIVO

PASSIVO

Caixa

250



 

 

 

 

Imobilizado

750

Capital Social

1.000

Total Ativo

1.000

Total Passivo

1.000


Estes movimentos são apenas patrimoniais, não decorrem de atividade operacional, portanto não trazem impacto na demonstração de resultado (receita, despesa, lucro, etc...). 
Agora a empresa capta um empréstimo de T$ 2.000, sendo que T$ 500 vão reforçar o caixa, e T$ 1.500 vão para a compra de estoques.

ATIVO

PASSIVO

Caixa

750

Empréstimos

2.000

Estoques

1.500

 


Imobilizado

750

Capital Social

1.000

Total Ativo

3.000

Total Passivo

3.000

 
Vejam que agora a empresa possui um ativo de T$ 3.000, assim como o passivo. Observem também que o estoque está posicionado abaixo do caixa, e acima do imobilizado, pela ordem de liquidez. Outra análise que podemos fazer agora é que 2/3 do negócio da empresa está sendo financiado por capital de terceiros, e 1/3 por capital dos sócios. Isso demonstra o nível de alavancagem da empresa.

Se você entendeu estes conceitos simples e poderosos, já pode dizer que não é mais um idiota em se tratando de contabilidade. Parabéns! Agora ao olhar o balanço patrimonial de uma empresa, observe o tamanho do caixa em relação ao ativo, observe o tamanho do imobilizado. Geralmente empresas industriais possuem uma grande proporção do ativo nas contas de imobilizado. Já empresas de serviços nem tanto.

Observe também a composição do passivo, também chamado de origem dos recursos. Que recurso está financiando o ativo? A maior parte é capital próprio ou de terceiros? Qual a qualidade deste capital de terceiros? Qual o prazo de vencimento? São perguntas que nos ajudam a entender o modelo de negócio da empresa, e também a forma como ela é gerenciada.

No próximo artigo vou explicar um pouco da demonstração de resultado (DRE) e como a DRE interage com o balanço patrimonial.

Gostou do texto? Cadastre-se no site e começe a seguir o usuário encostado . Sempre que ele postar um novo artigo, você será notificado.

Para ler outros textos do usuário encostado , clique aqui.