1. Home
  2. Artigos
  3. Economia
  4. Paridade Put / Call

Escrito por quark    24/01/2017 15:15:54

Paridade Put / Call


Se está habituado com o mercado de opções e termos como put  e call não são problema, seja bem vindo. Se nunca ouviu falar nesses termos, pode acompanhar a discussão pra poder esnobar os seus amigos no próximo jantar.

A paridade entre as opções de venda e compra existe se forem do tipo europeias, ou seja, quando só podem ser exercidas no vencimento. A relação entre leas num portfólio é a seguinte:

compra de CALL - venda de PUT = venda de ação Ação objeto + Strike da opção (descontada ao valor presente)

Pra economizar tinta escreverei

C - P = A - S(p).

Antes que você se assuste por nada como alguns amigos meus (um desses até formou-se médico, incrível!), repare que trata-se de matemática do terceiro ano… ou quase, tem um pouquinho de álgebra, mas você pode ensinar álgebra pro seu filho do terceiro ano. 

O assunto que vamos tratar aqui resume-se a informação contida nessa continha, não ao matematiquês. Dentre todos os termos, o mais alheio ao conhecimento do investidor padrão, em termos de precificacão, refere-se `as PUTs. Pois bem, vamos rescrever.

P = C - A + S(p)

em outras palavras, sabendo o valor da CALL, da ação e do Strike (descontado ao valor presente!) você tem o valor da PUT. Oras, então se o seu amigo investidor estiver em qualquer lugar, mesmo sob o Sol escaldante de Natal que ferve os miolos das pessoas, ele vai poder fazer uma continha básica e não precisa chutar a quanto deveria lançar essa PUT.

Mais interessante ainda. No mercado brasileiro podemos exercitar isso com, veja você… Petrobrás, que tem liquidez. O sujeito geralmente tem a ação, então compra uma CALL e vende uma PUT e uma ação, fica com o seguinte porfólio:

C - P - A = - S(p)

que, no vencimento, vai sempre deixá-lo com valor, ou lucro, “- S(p)”.

De quebra, você aprendeu arbitragem sem pensar em volatilidade, modelagem, cálculo estocástico, computação e monte de termos técnicos.

Até este ponto está tudo na wikipedia. O que não tem é que com esse tipo de conta você pode experimentar sua habilidade em arbitrar o mercado de opções brasileiro. Em tese isso não vai ser possível, as oportunidades sumirão assim que você tentar colocar sua ordem.

Então, quando for fazer essas contas, verifique os valores de “bid” e “ask” e se, de fato, você pode fazer um trade nos spreads. Leve em conta os custos de corretagem e emolumentos e, claro, saiba trazer o valor do strike ao presente (esta não é matemática básica mas provavelmente sua corretora deve fazer isso pra você…se não fizer, fala aqui com a gente). Atente para o slippage caso for negociar muitos contratos e etc. Quase toda vez que alguém tem uma epifania e pensa ter achado a fórmula mágica pra ganhar dinheiro com isso ou fez alguma bobagem, ou não tem ideia do que está fazendo.

Lembre-se: a ideia aqui é poder esnobar os amigos no jantar…não é passar vergonha.

Verifique.



Gostou do texto? Cadastre-se no site e começe a seguir o usuário quark. Sempre que ele postar um novo artigo, você será notificado.

Para ler outros textos do usuário quark, clique aqui.



Comentários


Ainda não existem comentários para este artigo.