1. Home
  2. Artigos
  3. Economia
  4. A Balada de Narendra Modi (ou como a única ideologia de governo é te ferrar)

Escrito por Ali Baba    17/01/2017 16:10:03

A Balada de Narendra Modi (ou como a única ideologia de governo é te ferrar)


Maio de 2014...após uma longa campanha que polarizou direita e esquerda, muçulmanos e hindus, jovens e idosos, Narendra Modi foi eleito como o décimo quarto primeiro-ministro da maior democracia do mundo.

A Índia, com mais de um bilhão de pessoas, só é menos populosa que a China, mas ao contrário destes, elege seus representantes. O país tem estado numa corrida armamentista e econômica contra Pequim e contra o Paquistão. O nacionalismo está na moda, e a retórica desenvolvimentista, anti-islâmica, pró-business e extremamente nacionalista propeliu Narendra para uma vitória fácil.

No exterior foi recebido como herói nacional pela comunidade indiana. Se você procurar imagens no Google verá tons de recepção de Rockstar na suas andanças. Um Hindu, vindo de uma família de comerciantes de chá, perseguido político, guiado pela mão do próprio Krishna. Um eleito de homens e deuses.

Aí, caro leitor, você deve estar se perguntando "tá, mas o que eu tenho a ver com isso? A Índia é lá do outro lado do mundo!" Peço um pouco de paciência, pois vou provar que a Índia é mais próxima que imagina.

Infelizmente como todo governante, o cara chega cheio de conversa e depois começa a botar as manguinhas de fora.
Com a desculpa de combater terrorismo, lavagem de dinheiro e outras mais, ele criou o que a imprensa amestrada convencionou chamar de "demonetização ". Um eufemismo para controle de capitais na sua pior forma. Basicamente ele tirou de circulação as notas de maior valor e quem quiser receber o dinheiro equivalente tem que ir trocar as suas notas. Milhões e milhões de indianos que tinham suas economias embaixo do colchão e não declaravam ao fisco, se viram com o dilema de perder suas economias ou serem declarados criminosos.

Numa única tacada, usando os bodes expiatórios de sempre, reforçou o negócio dos grandes bancos (os eternos melhores amigos de governos de qualquer matiz político) num país que prefere manter suas economias no colchão, aumentou o confisco do estado sobre seu gado...digo, seu povo, e deu um passo gigantesco na direção de uma economia sem dinheiro, totalmente digital e totalmente controlada pelo governo.

Isso é uma tendência irreversível. Os governos querem aumentar o poder de enfiar a mão no seu bolso, e quando isso está a um clique de distância...

E esse foi o cara com agenda pró-business com histórico de extrema-direita. Se você acha que com o Trump nos EUA vai ser diferente, espere e verá.

Esse site tem uma peculiaridade em relação a outras mídias. Nós tentamos ver o mundo como ele é e não como gostaríamos que fosse. Pense em nós como Nelson Rodrigues do mercado financeiro. Tentamos abrir os olhos do leitor, e ao invés de choramingar e bater os pezinhos no chão, de preferência mostramos ao leitor como lucrar com a situação ou pelo menos como se preparar e sofrer menos.

Por exemplo, se escrevêssemos em hindi, diríamos a nossos caros leitores para comprarem ações de bancos ou a pensar em abrir conta e talvez algum negócio ou investimento no exterior.
Como escrevemos em português (ou tentamos), a primeira parte do conselho não faria sentido, já que os bancos brasileiros estão, na minha cartilha pelo menos, caros. Mas a segunda parte do conselho está valendo.

Nós somos humanos e temos essa maldita tendência de pertencer a um grupo. Tudo é uma disputa de certo ou errado e golpistas usaram essa característica para se aproveitar de incontáveis gerações desde que os homens deram seus primeiros passos para fora da África até os dias de hoje. Mas o mercado e a própria vida são implacáveis. Você só está realmente certo se a sua conta bancária diz que está.
Não existe esquerda e direita. Existem pilantras tentando te fritar e você acha que é livre porque escolheu azeite de oliva ao invés de óleo de soja.

Aqui no Brasil é a mesma coisa. Não se iluda.
Posso parecer cínico ao dizer que para mim, por exemplo, Bolsonaro e Lula são a mesma coisa. Você ficou chocado com isso? Ótimo.

Não estou tentando mudar suas convicções políticas. Meu único objetivo é que você não seja como aqueles indianos que elegeram o Modi e o trataram como o ídolo das massas, apenas para ver suas economias serem dizimadas numa canetada.

Políticos tem apenas um objetivo: poder. Se você vai sofrer ou se beneficiar com uma determinada situação é muito mais incidental que possa parecer.

Coloque-se sempre na situação de esperar nada de bom dessa gente.

Em breve poderemos colocá-lo em contato com especialistas em finanças capazes de auxiliá-los com investimentos e contas no exterior.
No nosso evento em setembro também teremos alguns representantes de bancos, seguradoras e corretoras que poderão apresentar uma gama de oportunidades que normalmente não estão disponíveis para nós brasileiros.

E antes de me despedir quero salientar algo: nunca faça nada que possa ser considerado ilegal. Consulte seu contador e a legislação aplicável. O negócio é se proteger e lucrar jogando dentro das regras do jogo. É possível!

Em breve começarei a apresentar outros conceitos de investimento e diversificação no exterior, mais sofisticados.
Não perca.

Forte abraço,

Ali Baba



Gostou do texto? Cadastre-se no site e começe a seguir o usuário Ali Baba. Sempre que ele postar um novo artigo, você será notificado.

Para ler outros textos do usuário Ali Baba, clique aqui.



Comentários


Ainda não existem comentários para este artigo.